Navegação – Mapa do site
Dossiê "Políticas de Visualidade, Práticas Visuais e a Construção de Espaços de Imaginação"
Artigos

Da transgressão ao controle: uma análise dos grafites do muro do Jockey Club do Rio de Janeiro

From transgression to control: an analysis of graffiti on the wall of Rio de Janeiro’s Jockey Club
Hely Geraldo Costa Júnior
p. 65-79

Resumos

Este artigo analisa os grafites do muro do Jockey Club do Brasil no Rio de Janeiro, suas relações com o território, o mercado e o capital. O enorme muro grafitado de forma livre, espontânea e transgressora desde o início dos anos 2000 passou por uma reforma e restauração em março de 2014. A ação apagou todas as imagens que multiplicavam-se pelos seus mais de dois mil metros de extensão, causando polêmica e indignação entre grafiteiros e população. Meses depois, um novo painel foi criado em substituição ao antigo, porém, de forma institucionalizada, com curadoria na escolha dos grafiteiros, patrocínio e apoio estatal. Do muro transgressor ao muro controlado, a análise que se segue fundamenta-se sobretudo nos conceitos de poder e sociedade disciplinar propostos por Michel Foucault, e sociedade de controle, desterritorialização e reterritorialização de Gilles Deleuze e Félix Guattari.

Topo da página

Notas da redacção

Recebido em: 2016-11-29
Aceitado em: 2017-04-25

Extracto do texto

Este documento será publicado online em texto integral em Outubro 2017.

Mapa

Introdução
O muro grafitado
O muro controlado
Considerações Finais

Visualização do texto

Introdução

Este artigo é fruto de uma pesquisa sobre a cooptação e a mercantilização do grafite carioca, desenvolvida durante o doutorado em design da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, entre março de 2012 e janeiro de 2016, utilizando-se da cartografia proposta por Deleuze e Guattari (1995a; 1995b) como recurso metodológico, em um processo plural, aberto e multidimensional. Uma cartografia que buscou analisar os deslocamentos ideológicos da prática; as relações e os jogos de poder envolvidos no mercado de arte urbana; os enfrentamentos, as lutas e as forças presentes nos muros e nas paredes da cidade; os modos de subjetivação e as práticas de resistência e de liberdade presentes nas ruas do Rio de Janeiro. Procurou identificar e analisar os campos de força, as relações e os movimentos do grafite no tempo e no espaço da Zona Sul carioca. Uma pesquisa-rizoma desenvolvida num plano horizontal, de forma acêntrica, indeterminada e não hierarquizada, abrindo-se para a plu...

Topo da página

Para citar este artigo

Referência do documento impresso

Hely Geraldo Costa Júnior, « Da transgressão ao controle: uma análise dos grafites do muro do Jockey Club do Rio de Janeiro », Cadernos de Arte e Antropologia, Vol. 6, No 2 | -1, 65-79.

Referência eletrónica

Hely Geraldo Costa Júnior, « Da transgressão ao controle: uma análise dos grafites do muro do Jockey Club do Rio de Janeiro », Cadernos de Arte e Antropologia [Online], Vol. 6, No 2 | 2017, posto online no dia 01 Outubro 2017, consultado o 16 Agosto 2017. URL : http://cadernosaa.revues.org/1289 ; DOI : 10.4000/cadernosaa.1289

Topo da página

Autor

Hely Geraldo Costa Júnior

Universidade Estácio de Sá, Rio de Janeiro, Brasil

falecom@hely.com.br

Topo da página

Direitos de autor

© Cadernos de Arte e Antropologia

Topo da página
  • Logo ERIH PLUS
  • Logo EBSCO – EBSCOhost Online Research Databases
  • Logo Latindex – Sistema de Información sobre las revistas de investigación científica
  • Logo DOAJ – Directory of Open Access Journals
  • Logo Navba
  • Revues.org