Navegação – Mapa do site
Dossiê "Políticas de Visualidade, Práticas Visuais e a Construção de Espaços de Imaginação"
Artigos

Territórios, mobilidades e estéticas insurgentes. Refletindo sobre práticas e representações coletivas de realizadores visuais nas metrópoles contemporâneas

Territories, mobility, and insurgent aesthetics. Reflecting on practices and collective representations amongst visual artist in contemporary metropolises
Guilhermo Aderaldo
p. 31-48

Resumos

Partindo de reflexões construídas no decorrer de duas pesquisas etnográficas recentes, este artigo visa trazer alguns apontamentos mais sistemáticos sobre a forma pela qual a popularização do acesso a ferramentas de produção visual/audiovisual tem possibilitado a construção de novas modalidades de associativismo e engajamento político nas metrópoles latino americanas contemporâneas, sobretudo, por parte de jovens trabalhadores precários, nas chamadas “profissões criativas”. Para isso, examino experiências de “ativismo cultural” ou “arte ativismo”, protagonizadas por três coletivos das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, buscando compreender o modo pelo qual os mesmos interpelam criticamente as lógicas hegemônicas responsáveis pela conformação de modelos urbanísticos profundamente excludentes.

Topo da página

Notas da redacção

Recebido em: 2016-11-30
Aceitado em: 2017-04-25

Notas do autor

O presente artigo é baseado nas comunicações que apresentei no VI Congresso da Associação Portuguesa de Antropologia (APA), realizado na cidade de Coimbra, em junho de 2016 e na 30º Reunião Brasileira de Antropologia, ocorrida na cidade de João Pessoa, em agosto de 2016. Agradeço especialmente à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), pelo financiamento das pesquisas de doutorado (Processo Nº 2009/50153-2) e pós-doutorado (Processo Nº 2014/04243-8) que dão lugar às reflexões contidas no texto. Lembro ainda que as opiniões e conclusões ou recomendações expressas neste artigo são de responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a visão da FAPESP.

Extracto do texto

Este documento será publicado online em texto integral em Outubro 2017.

Mapa

Cidade, imagens e imaginários
Coletivo de Vídeo Popular (CVP)
Coletivo Projetação
Cartograffiti e o Coletivo Imargem
Algumas considerações finais

Visualização do texto

Cidade, imagens e imaginários

(...) é verdade que o mundo é o que vemos e que, contudo, precisamos aprender a vê-lo (Ponty, 2014: 16).

Reconhecidamente polifônicos (Canevacci, 2004; Campos, 2011a; 2011b) e pluriétnicos (Agier, 1999; 2011 [2009]; 2013), os espaços urbanos contemporâneos são, igualmente, caracterizados pela presença de uma visualidade específica a qual decorre, entre outras coisas, do contato entre percepções de mundo marcadas por experiências sociais profundamente diversas e assimétricas. Tal visualidade, há muito, se expressa por meio da presença de tags, graffitis, pichações, marcas publicitárias, entre outras expressões responsáveis por tingir as fronteiras que recortam a paisagem segregada das metrópoles.

Contudo, nos últimos anos, mediante o desenvolvimento e a popularização das tecnologias comunicativas, a disputa simbólica relacionada à produção de imagens nas e sobre as cidades parece ter alcançado um novo patamar; estimulando, inclusive, o desenvolvimento de fo...

Topo da página

Para citar este artigo

Referência do documento impresso

Guilhermo Aderaldo, « Territórios, mobilidades e estéticas insurgentes. Refletindo sobre práticas e representações coletivas de realizadores visuais nas metrópoles contemporâneas », Cadernos de Arte e Antropologia, Vol. 6, No 2 | -1, 31-48.

Referência eletrónica

Guilhermo Aderaldo, « Territórios, mobilidades e estéticas insurgentes. Refletindo sobre práticas e representações coletivas de realizadores visuais nas metrópoles contemporâneas », Cadernos de Arte e Antropologia [Online], Vol. 6, No 2 | 2017, posto online no dia 01 Outubro 2017, consultado o 16 Agosto 2017. URL : http://cadernosaa.revues.org/1272 ; DOI : 10.4000/cadernosaa.1272

Topo da página

Autor

Guilhermo Aderaldo

Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil

Doutor em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo (USP). É autor de Reinventando a cidade: Uma etnografia das lutas simbólicas entre coletivos culturais vídeo-ativistas nas “periferias” de São Paulo (Annablume/Fapesp, 2017) e pesquisador em Pós-doutorado (FAPESP) vinculado aos departamentos de antropologia da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidad de Buenos Aires (UBA).

guiade@ymail.com

Topo da página

Direitos de autor

© Cadernos de Arte e Antropologia

Topo da página
  • Logo ERIH PLUS
  • Logo EBSCO – EBSCOhost Online Research Databases
  • Logo Latindex – Sistema de Información sobre las revistas de investigación científica
  • Logo DOAJ – Directory of Open Access Journals
  • Logo Navba
  • Revues.org